PERSPETIVAS ECONÓMICAS REGIONAIS

Um planeta, dois mundos, três realidades

Outubro 2021

Uma recuperação tensa. Apesar de alguns sinais encorajadores, mais um ano difícil.

Perspetivas Económicas Regionais - África Subsariana

O mundo continua a braços com a pandemia de Covid-19 e a aparente aceleração do ritmo das alterações climáticas, o que sublinha a necessidade de reforçar a cooperação e o diálogo a nível mundial. As soluções para estes problemas globais têm de envolver todos os países e todas as regiões, em especial a África Subsariana, que tem a menor percentagem de população vacinada do mundo, o potencial mais promissor em matéria de energias renováveis e ecossistemas críticos. A economia da África Subsariana deverá crescer 3,7% em 2021 e 3,8% em 2022. Após a forte contração registada em 2020 esta retoma é muito bem-vinda, mas continua a representar a recuperação mais lenta face a outras regiões.

Em particular, as perspetivas económicas apontam para divergências a três níveis: entre a África Subsariana e outras regiões, na África Subsariana e dentro dos países. Estas divergências refletem o ritmo de vacinação mais lento na região, um espaço orçamental mais limitado e disparidades regionais em matéria de resistência. As perspetivas continuam extremamente incertas e os riscos estão inclinados no sentido descendente. A recuperação depende, em especial, da trajetória da pandemia a nível mundial e do esforço de vacinação à escala regional, da inflação dos preços dos produtos alimentares, sendo igualmente vulnerável a perturbações na atividade mundial e nos mercados financeiros.

Numa análise prospetiva, o potencial da África Subsariana mantém-se intacto. A região encontra se num momento crítico para implementar reformas transformadoras arrojadas e tirar partido deste potencial.

Últimas Projeções Para a Região